terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Merkel: Descendente de Hitler


Começo a ter a vaga ideia de que a Alemanha arranjou uma forma inteligente de anexar toda a Europa.
Inteligente porque anexa pela força das palavras e põe de lado a força das armas.



A principal questão que ponho é: quando é que a Alemanha é expulsa da Comissão Europeia?

Para variar acho que vai ser no dia em que, mais uma vez, der cabo disto tudo e mais uma vez com o consentimento de todos os países, tal como fez durante a 2ª Guerra Mundial. Todos os europeus sabiam o que estava a acontecer mas todos fecharam os olhos.


A expulsão dos judeus serviu o interesse de todos os países europeus porque NENHUM aceitou recebê-los quando Hitler os confrontou. Hitler também fez uma "Cimeira" com os principais lideres políticos europeus onde lhes comunicou, antecipadamente, a sua decisão e ninguém quis ter a responsabilidade de receber tantos judeus, ninguém os queria. Contra a vontade de Hitler que achava que os judeus deveriam de ir para Madagáscar, os judeus foram enviados para Israel e o Hitler avisou que a presença dos judeus em Israel ia dar inicio a uma instabilidade mundial permanente e sem fim à vista (o homem nesta altura ainda tinha uma sanidade e perspicácia mental apurada). 
Um dos vários motivos que levou à morte de tantos judeus, não foi só a loucura deste homem, que odiava abertamente aquela raça (para ele e para o povo alemão, manipuladora da economia e politica alemã, ao ponto de "ameaçar" destruir a Alemanha se o governo não se submete-se à sua vontade) mas também a recusa dos países em receberem e ajudarem a "recambiar" tantos judeus.

Em 1933 Hitler, no seu livro " A Minha Luta" , já apresentava ideias semelhantes ás que estão a ser divulgadas pela Sra. Merkel.
O homem teve foi a triste ideia de apresentar os seus ideais pela força das armas e agora esta coisa politica chamada Merkel, usa de forma inteligente a ainda mal entendida, pela maioria das pessoas, linguagem politica e económica para submeter todos à sua vontade e aos interesses do único povo inteligente que existe na Europa: os alemães.


Adolf Hitler disse: "Por que eu iria forçar essas criaturas a se submeterem a uma disciplina rígida, da qual não conseguem escapar? Eles podem ter tantas terras ou usinas quanto querem, o importante é que o estado, por intermédio do partido, decida quanto às ações e atitudes, pouco importando, assim, que sejam proprietários ou operários. Compreendem, agora, que tudo isso não significa mais nada? Nosso socialismo tem uma forma de agir mais profunda. Não modifica a ordem das coisas, não faz senão mudar as relações dos homens com o estado (...) Que significado têm a partir de agora as expressões 'propriedade' e 'renda'? Por que teremos a necessidade de socializar os bancos e as usinas? Nós socializamos os homens!"
O Nazismo torna-se uma Política de Estado para eliminar outros povos considerados biologicamente inferiores. Isto porque Hitler: "julga que só a raça ariana é "depositária do progresso da civilização" e, portanto, como um povo de senhores, tem de conquistar e submeter as raças inferiores." 
O Nazismo era movimento que defendia a superioridade da raça ariana e a doutrina do "espaço vital" nacional necessário aos alemães, um espaço territorial mínimo, que, para um povo desta grandeza, significava controlar toda a Europa.



O Programa do Partido Nacional Socialista Alemão dos Trabalhadores tem alguns pontos comuns com o Programa de Politica Económica de hoje e é típico de uma raça que se considera superior:
  1. Pedimos terras e colônias para nutrir o nosso povo e reabsorver a nossa população.
  2. Constituição de uma Grande Alemanha, que reúna todos os alemães, baseados no direito dos povos a disporem de si mesmos.
  3. Só os cidadãos gozam de direitos cívicos. Para ser cidadão, é necessário ser de sangue alemão. A confissão religiosa pouco importa. Nenhum judeu, porém, pode ser cidadão.
  4. O direito de fixar a orientação e as leis do Estado é reservado unicamente aos cidadãos. Por isso pedimos que todas as funções públicas, seja qual for a sua natureza, não possam ser exercidas senão por cidadãos. Nós combatemos a prática parlamentar, origem da corrupção, de atribuição de lugares por relações de Partido sem importar o caráter ou a capacidade.
  5. Pedimos que o Estado se comprometa a proporcionar meios de vida a todos os cidadãos. Se o país não puder alimentar toda a população, os não cidadãos devem ser expulsos do Reich.
  6. Todos os cidadãos têm os mesmos direitos e os mesmos deveres.
  7. O primeiro dever do cidadão é trabalhar, física ou intelectualmente. A atividade do indivíduo não deve prejudicar os interesses do coletivo, mas integrar-se dentro desta e para bem de todos. 
  8. Pedimos uma participação nos lucros das grandes empresas.
  9. Pedimos uma reforma agrária adaptada às nossas necessidades nacionais, a promulgação de uma lei que permite a expropriação, sem indemnização, de terrenos para fins de utilidade pública – a supressão de impostos sobre os terrenos e a extinção da especulação fundiária.
  10. Pedimos que o Direito romano seja substituído por um direito público alemão, pois o primeiro é servidor de uma concepção materialista do mundo.
  11. Pedimos a luta pela lei contra a mentira política consciente e a sua propagação por meio da Imprensa. Para que se torne possível a criação de uma imprensa alemã, pedimos que:
    1. Todos os diretores e colaboradores de jornais em língua alemã sejam cidadãos alemães.
    2. A difusão dos jornais não-alemães seja submetida a autorização expressa. 
    3. Seja proibida por lei qualquer participação financeira ou de qualquer influência de não-alemães em jornais alemães. Os jornais que forem contra o interesse público devem ser proibidos. Pedimos que se combata por lei um ensino literário e artístico gerador da desagregação da nossa vida nacional; e o encerramento das organizações que contrariem as medidas anteriores.
  12. Para levar tudo isso a bom termo, pedimos a criação de um poder central forte, a autoridade absoluta do gabinete político sobre a totalidade do Reich e as suas organizações, a criação de câmaras profissionais e de organismos municipais encarregados da realização dos diferentes Länder, de leis e bases promulgadas pelo Reich.



E agora que já dei a minha opinião, chamei-a de fascista, que eu estou farta desta gaja até á ponta do corno direito e esquerdo sinto-me mais leve mas tenho pesadelos só de pensar que a minha geração está mais uma vez a ver o filme todo a acontecer e pior... de braços cruzados. 

Mas será que ninguém aprende nada com a Puta da História e com o Passado????

Fazendo fé nos novos relatos históricos em que o Hitler teria fugido para a Argentina em 1945 não poderá esta bruxa ser sua descendente???