quinta-feira, 28 de março de 2013

Gravidez Semana a Semana - 29 a 40


SEMANA 29
Estas semanas são cruciais para o bebé, ele está a acumular gorduras que o vão ajudar a manter-se quente no mundo exterior e os seus pulmões estão a preparar-se para uma respiração autónoma. O bebé mede mais ou menos 36-38 cm e pesará por volta de 1100-1220 gr. A cabeça é proporcional aos braços e ás pernas, a gordura na parte cutânea dá-lhe um aspecto menos enrugado. Os olhos conseguem focar e piscar, poderá ver sombras e silhuetas de formas do mundo exterior.

Na mãe é comum aparecerem varizes porque as veias que transportam o sangue das pernas  sofrem um considerável aumento de pressão arterial. Os seios vão produzir uma quantidade maior de colostro pelo que se recomendam o uso de um sutiã com material absorvente. Coma lanches saudáveis e  aumente a sua ingestão calórica diária em cerca de 300 calorias. É normal que se sinta impaciente imaginando como será o aspecto do seu bebé e que deseje que o parto chegue depressa.


SEMANA 30
bebé mede 38-40 cm e pesa 1300 gr, provavelmente estará de cabeça para baixo, com os joelhos dobrados e encostados ao peito. Está continuamente a tornar-se mais cheio e por isso a pele esta a tornar-se mais lisa.
Está praticamente pronto para nascer nesta fase, apenas o sistema imunitário e os pulmões continuam a desenvolver-se.
O útero vai novamente fazer pressão sobre a bexiga e a mãe vai urinar novamente com mais frequência, o que vai perturbar o sono durante a noite. É provável que comesse a ter dores nas devido ao aumento de peso da criança. É normal que sinta, fadiga, falta de fôlego e constipação.
Também é normal que esteja a contar todos os dias que faltam para o seu filho  nascer e que esteja a ficar inquieta à medida que o parto se aproxima, que tenha receio de entrar em trabalho de parto prematuramente visto que muitas mulheres sofrem de contracções Braxton Hicks muito fortes que apesar de serem desagradáveis e incomodativas não devem provocar dor.


SEMANA 31
O bebé tem cada vez maior consciência do mundo exterior. Os ouvidos estão cada vez mais afinados e por isso deve conversar com ele. Mede 40 cm e pesa 1400-1500 fr. A pele não é tão escura nem tão vermelha como nas fases anteriores da gestação. A gordura constitui 3,5% do peso corporal. Nesta fase as células que revestem os saquinhos de ar dos pulmões segregam uma substancia que impede que os tecidos dos pulmões se colem uns aos outros. É uma etapa importante do desenvolvimento do bebé porque sem esta substancia ele não seria capaz de sobreviver fora do útero.
É normal que a mãe sinta o seu corpo lento e desajeitado,  se sinta descoordenada e com pouco equilíbrio, isto acontece porque o seu estômago e as suas articulações se encontram algo instáveis por causa dos harmónios.
Tenha cuidado quando desce escadas ou quando chove. É comum que sinta falta da memória, visto que vai andar distraída pensando muito no bebé e no dia do parto.

SEMANA 32
bebé mede 40-42 cm e pesa 1700-1800 gr. Parece-se muito com uma versão mais pequena de um bebé de termo apesar de ainda ser muito delicado. O cabelo continua a crescer e poderá ter ainda uma ligeira camada de lanugo na parte de trás dos ombros e parte superior dos braços.
A audição do bebé está a ficar mais afinada. O ambiente dele é constantemente preenchido por barulhos, sejam os ruídos do estômago da mãe, o seu batimento cardíaco e o som do sangue que corre pelo cordão umbilical.
O revestimento dos sacos dos pulmões contínua a segregar surfactante, essencial para o bebé respirar depois de nascer.
O bebé já é tão crescido que deixa de puder flutuar no liquido amniótico e fica parado no útero, na maior parte das vezes em posição cefálica. Caso o bebé não esteja nesta posição o médico vai aconselha-la a pôr se de gatas no chão para facilitar a rotação. Caso isto não aconteça não se preocupe,  ainda tem muito tempo para se colocar na posição final.

O útero está a atingir o seu tamanho máximo. A mãe vai continuar a ganhar peso um pouco mais rapidamente. Os 8,6kg que ganhou não são só da criança, são da placenta, do líquido amniótico, do aumento da quantidade de sangue e do aumento do volume dos seios e do útero. Os órgãos internos assumem posição diferente o que é perfeitamente normal.


SEMANA 33
O bebé mede 41-43 cm e pesa 2 kg, tem um aspecto muito semelhante do que terá no final da gestação mas é menor e mais delicado. A pele está mais pálida devido a formação de gordura que terá bastante impacto na aparência do bebé, porque é o que torna a pele mais lisa e cheia, com as covinhas nos cotovelos e joelhos, como também as dobras nos pulsos e no pescoço.
O bebé necessita de ficar maior, mais gordo e mais forte, para que consiga manter a temperatura do corpo, alimentar-se e combater qualquer infecção que possa surgir. O seu sistema imunitário ainda se está a desenvolver, apesar de os órgãos principais já estarem constituídos.

O bebé tem estado muito ativo e a mãe poderá conseguir distinguir um pequeno pé ou o cotovelo quando ele chuta na sua barriga. Por vezes pode provocar desconforto, procure uma posição confortável para se sentir bem. A mãe vai voltar a respirar sem dificuldade porque o bebé virou de cabeça para baixo. Se esta for a primeira gravidez, a probabilidade é maior que o bebé se vire para uma posição cefálica. As mãos e tornozelos estão inchados devido à retenção de água. Evite os esforços que não sejam indispensáveis.
A mãe está habituada a comunicar com o seu bebé mesmo que não se dê conta. Dê palmadinhas na barriga e fale com o bebé, para ele ter uma percepção maior dos sons, dos movimentos e das emoções.
O pai também tem um papel fundamental e deve massagar a barriga da mãe com movimentos suaves. O bebé também vai sentir uma maior ligação com os progenitores.


SEMANA 34
O bebé mede 43 -45 cm e pesa 2100-2200 gr. A maior parte do lanugo desapareceu, o cabelo da cabeça está a ficar mais espesso, a pele está macia e lisa, o corpo coberto pela vérnix caseosa, as gengivas mostram uma espécie de arestas que poderá confundir-se com os dentes. Continua a acumular gordura necessária para se manter quente, os pulmões estão quase maduros e o bebé já será capaz de respirar autonomamente se nascesse agora.
O cérebro e o sistema nervoso estão plenamente desenvolvidos mas a sucção ainda é fraca, as papilas gustativas já estão completamente desenvolvidas e existem estudos que comprovam que o bebé já tem uma preferência por certos sabores.
Por vezes ele empurra a parede do útero com tanta força que às vezes a mãe não conseguirá empurrar na direcção contrária. O médico dará a posição exacta do bebé, mas esta informação pode não ser uma novidade, visto que pode sentir a sua posição através dos movimentos dos membros dele.

A mãe pode sentir-se um pouco ansiosa e ao mesmo tempo muito feliz e também apreensiva. A melhor forma para contrariar esses estados é fazer uma pesquisa sobre o parto e o nascimento, para que se sinta mais aliviada. Fale também com o médico e esclareça todas dúvidas. Vai ver-se um crescimento incrível na barriga, muito mais rápido do que em todas as semanas anteriores. É possível que faça exames ao sangue e à urina em todas as consultas pré-natais. Pode ter edemas nas mãos e nos pés devido à contínua retenção de fluidos.


SEMANA 35
O bebé mede 44-46 cm e pesa 2500 gr, tem praticamente a mesma aparência com que o conhecerá, a pele é bastante lisa, tem algumas covinhas, já tem uma boa quantidade de cabelo. O bebé cresce em comprimento, mas o ritmo de desenvolvimento abrandou, está a ficar mais cheio, acumulando alguma gordura, sobretudo envolta dos ombros. Os órgãos estão constituídos, à excepção dos pulmões, que são os últimos e demoram mais tempo.
O bebé tem movimentos muito semelhantes aos que vai ter quando nascer. Reagirá constantemente aos sons e a mãe vai senti-lo a saltar quando ouvir um barulho forte ou a mexer-se quando reconhecer a sua voz, ou uma música.
O bebé pode ouvir os sons a metade do volume a que a mãe os ouve.

O corpo da mãe tem sofrido várias mudanças, a barriga  pode “endurecer”, sente-se pesada, muito cansada e com a sensação de que a barriga vai “rebentar”. Não passe muito tempo em pé. A relaxina que ajuda a dilatação do colo do útero, juntamente com o peso da criança, provoca o relaxamento das articulações pélvicas e a preparação para o parto, portanto, pode sentir algum incómodo nessa zona.



SEMANA 36
O bebé mede 45-47 cm e pesa 2700 gr. As unhas do bebé vão atingir as pontas dos dedos e quando nascer serão suficientemente grandes para ele se coçar, embora muito finas e suaves como papel. O seu desenvolvimento está quase completo mas nascesse agora era considerado prematuro.
Os pulmões continuam a desenvolver-se e a cada dia que passa mais células de gordura se vão acumulando na camada por baixo da pele.
Ele tem menos espaço para se mexer porque está maior, mas a mãe deve sentir por dia à volta de dez movimentos, se não forem mais. Estes movimentos indicam a sensação de deslocação. Se ele estiver na apresentação pélvica, é provável que a mãe sinta um alto desconfortável abaixo das costelas, no sitio onde está a cabeça do bebé.

As contracções podem ser muito incómodas. É através delas que o útero se prepara para o parto. Tente praticar a respiração enquanto sentir a sua barriga a contrair-se. Nesta fase, a sua vida apenas se centra na espera pelo início do parto. É possível que passe grande parte do tempo a conferir de sem tudo pronto para o parto, quer para as semanas seguintes ao nascimento do seu filho. O seu médico vai dizer-lhe qual o tamanho do bebé quando palpar o seu útero para verificar que está descer ao ritmo certo e para sentir a sua posição. As consultas pré-natais serão mais frequentes até o parto. É normal que sonhe muito e que tenha sonhos muito "vivos". Descanse muito e mude de posição com frequência.



SEMANA 37
O bebé mede 46-48 cm e pesa 3000 gr e já é uma versão de recém-nascido quando nascer. O seu desenvolvimento principal já está completo e agora o principal objetivo é continuar a crescer em tamanho, a se fortalecer e a acumular gordura, até 28 gramas por dia. As células cerebrais continuam a multiplicar-se e a desenvolver-se logo após o nascimento e permanecerão em desenvolvimento nos primeiros meses de vida.
Se o bebé for do sexo masculino, os testículos costumam descer para o escroto por volta desta altura, a sua cabeça começa a descer até à pélvis e assim que ele a encaixar a cabeça, a mãe notará que a barriga desceu e vai-lhe parecer mais baixa. Quando o bebé descer, os movimentos dele parecerão menos vigorosos embora a mãe deva continuar a sentir cerca de dez movimentos por dia.
As medidas e peso do bebé vão ser verificados com mais frequência pelo especialista que a acompanha durante as várias fases da gravidez.

Se planeou o parto numa maternidade deve fazer as malas porque o seu bebé já está preparado para nascer e pode dar à luz a qualquer momento. Durante esta semana pode começar a sentir contracções indolores, conhecidas como contracções de Braxton Hicks, são cólicas uterinas leves que duram cerca de 30 segundos. Não se deve assustar com essas contracções.



SEMANA 38
O bebé mede 47-49 cm e pesa 3100 gr. A maior parte do lanugo que cobria o corpo já terá desaparecido, o seu corpo ainda está coberto por vérnix, porque continua a necessitar de impermeabilização até nascer, a gordura ainda se acumula por baixo da pele e ele continuará a crescer enquanto estiver dentro da sua barriga. A gordura continua a ser armazenada dentro de pregas e as bochechas estão a ficar cada vez mais rechonchudas.
O batimento cardíaco atinge entre as 110 e 160 vezes por minuto. O bebé está completamente formado e o parto está prestes a chegar, tem 300 ossos, enquanto que um adulto tem apenas 206. Isto se deve ao fato de alguns ossos de difundirem com o crescimento da criança.
Se a cabeça já se encaixou na bacia, a mãe poderá notar uma alteração na forma da barriga. Se não aconteceu, não se preocupe, alguns bebés não encaixam até ao início do parto. Quando a cabeça já estiver encaixada a mãe poderá sentir dificuldades ao andar.

A mãe está cansada e irritada porque está preocupada com o parto, acalmar-se, pratique  meditação e seja mimada com uma boa massagem.
Algumas mulheres queixam-se de depressão devido a uma mistura de emoções, incluindo a ansiedade. A fadiga, devido à insónia e ao desejo de terminar a gravidez. Se isso lhe acontecer fale com o seu médico.


SEMANA 39
O bebé mede 50 cm e pesa 3200 gr. O corpo está agora bem redondo, com uma camada suficiente de gordura, a pele está macia e algumas zonas ainda estão cobertas com vérnix, as unhas dos pés já atingiram a extremidade dos dedos dos pés, a quantidade do cabelo pode ser variada, isto é, o seu bebê tanto pode ser completamente careca, apresentar alguns tufos ou ter a cabeça completamente coberta com cabelo. O sistema imunitário contínua em desenvolvimento.
 Alguns dos seus anticorpos passarão para o seu filho através da placenta e vão ajudá-lo a proteger-se de doenças e infecções. Se o bebé  desenvolveu um padrão de sono, este poderá prolongar-se até depois de nascer. Se durante um período do dia estiver mais activo  o mesmo se poderá um hábito depois de nascer. Quando você for dormir, ponha uma música calma e fale com o seu filho calmamente, sitio poderá acalmá-lo.

É normal que a mãe comece a sentir muito desconforto e que durma mais, o bebé também deverá a sentir-se desconfortável, pois já tem muito pouco espaço para sem movimentar dentro da barriga da mãe. Você poderá senti-lo a querer mudar de posição mas pode não ser possível devido ao espaço que tem para se movimentar. Muitas mães identificam o período de brincadeiras do bebê no final do dia e sabem que isso provavelmente vai acontecer também depois do nascimento. O útero já ocupa todo o espaço da zona pélvica e uma grande parte do abdómen.
Por esta altura o bebê já deve ter assumido a posição final, no entanto o seu médico irá confirmar se ele está na posição correta.


SEMANA 40
O tamanho do bebé é de 48-53 cm  enquanto que o seu peso é 3200-3600 gr. Tem exactamente o mesmo aspecto que terá quando nascer. Vai estar muito encolhido, devido ao pouco espaço, e isso é um fato que se torna importante porque é por esse motivo que os bebés gostam tanto de colo.
Se estava sentado ou em apresentação pélvica dentro do útero, os joelhos poderão ficar encolhidos e junto ao peito durante alguns dias. Alguns nascem com os pés virados para dentro devido à posição que escolheram dentro da barriga mas este aspecto é apenas temporário.
Ele está completamente desenvolvido. Ao nascer vão haver mudanças bastante importantes no coração e nos pulmões do bebê. Até ao nascimento as trocas de oxigénio e de dióxido de carbono eram feitas através da placenta. Assim que nascer e respirar pela primeira vez, o sangue nos pulmões é oxigenado e vai começar a respirar normalmente. O ritmo de respiração de um recém-nascido é de 50 por minuto, embora possa ser bastante irregular nos primeiros dias.
Quanto à movimentação, mesmo dentro da barriga da mãe o bebé pratica a rotação da cabeça para procurar o leite bem como o movimento de sucção, quando tiver o bebê nos seus braços vai associar algumas dessas contorções. Os seus movimentos e sons vão ser bastante familiares ao seu filho.

Esta pode parecer-lhe a semana mais longa de toda a gravidez. Algumas mulheres podem ter uma sensação hormonal semelhante à tensão pré-menstrual, imediatamente antes do parto ter inicio. Outras mulheres podem sentir-se apenas diferentes. No entanto muitas mulheres sentem necessidade de limpar e arrumar a casa, escolher a roupa para o bebé e preparar o quarto e a casa para a chegada do filho.
Termina este período de espera e em teoria já deveria ter tido o bebé, mas apenas 5% das crianças  nascem exactamente na data prevista do parto. É comum dar à luz algumas semanas mais cedo (bebés prematuros) ou mais tarde (bebés pós-maturos). Se você não tiver dado à luz até agora, é provável que o faça em poucos dias.
Nesta última semana começam a surgir as contracções falsas (mais forte do que há poucos dias), mas em intervalos regulares e param logo assim que você se mexa. Mesmo que tenha parado de ganhar peso, a pressão sobre a região pélvica e abdominal será insuportável. Aguente só mais uns dias! Está mesmo a chegar o dia do nascimento do seu filho!

Sem comentários:

Enviar um comentário