segunda-feira, 28 de setembro de 2015

"Se Isto é Um Homem"

Tinha-o em casa mas ainda não me tinha chamado a atenção.

A minha "cunhada" aconselhou-me vivamente a lê-lo, o que fiz sem hesitar, não só pelo relato histórico que representa mas também pela sinopse que apresenta.

De facto o homem para sobreviver esquece-se não só da sua condição humana  mas também da dos outros.

Aconselho vivamente esta leitura que retrata a vida de um homem num campo de concentração nazi.

Escondido

Pai e filho brincam ás escondidas.

Diz o pai:
- Diogo, onde estás Diogo!?
Escondido debaixo da cama oiço uma voz:
- Aqui papá!!! 

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Bolinhas de Sabão

A minha mãe apresentou-me ao Mundo Mágico das bolinhas de sabão em Setembro de 2014.





Dia Verde

Faz hoje 1 ano que fui ao Dia Verde onde conheci um monstro sem nome, vi com muita atenção o teatro da Faditas enquanto comia pipocas. Depois fui ouvir um bocadinho de música e dançar.






Passear em Islantilla


Na onda de recuperar a informação perdida do blog relembro as nossas férias de 2014, em Islantilla quando o Diogo se divertia a brincar na areia, dava grandes passeios à beira-mar e como o seu novo brinquedo: o telemóvel do pai.

Quando os espanhóis chegavam à praia ,eram 10h, já nós estávamos fartinhos de "curtir" aquela calma e aquele Sol.

No final da tarde fomos, várias vezes, comer um gelado ao Centro Comercial e andar naquele extenso paredão, onde o Diogo se dedicava a dizer adeus ás pessoas que passavam.

Noutros dias íamos preguiçar nas ruas vazias frente ao hotel.

O melhor acabou pro ser a praia de Nuevo Portil porque era uma lagoa sem alforrecas, com águas muito calmas e quentes. O Diogo adorou brincar com as algas.








Parque, Parque...

Sábado a praia estava bem ao nosso gosto e o Diogo pode correr sem problemas e brincar a rebolar na areia com a mãe sem o olhar curioso (ou não) das outras pessoas. Desta vez até fez moldes de areia sem os destruir!!!

No Domingo o Sr. acorda e diz do alto dos seus 2 anos, sabendo exactamente o que quer da vida: 
- Menino não qué páia. Diogo qué ir ao paque!!!

Às 9h 15m o Parque do Alvito era todo nosso e depois de 2h30 m a correr, subir, descer sem parar pensávamos que o Diogo ia dormir uma grande soneca mas 1h30m depois lá estava ele todo espevitado...
- Socorro não o vou conseguir ter em casa com este "spide" todo!!!

Mais 2h de parque infantil, no Parque dos Poetas, e uma negociação apertada com a promessa de o deixar ver o tablet, para ele se vir embora sem fazer birra.

Pergunto-me várias vezes se haverá provas de atletismo para bebés porque com o que ele corre não tarda nada faz a maratona.





segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Que Violência!!!

A minha irmã anda preocupada porque o Diogo está muito sossegado a brincar e de repente começa a mandar vir, manda com os brinquedos, bate nas coisas com um pau. Ela queria saber se ele andava a ver desenho animados violentos.

Depois de andar uma semana a pensar no assunto acabei por perceber que se tirar o facto da mãe do Bambi ser assassinada quando ele nasce, a do Dumbo ser violentamente espancada e presa à sua frente e do Simba ver o pai morrer, os desenhos animados violentos que ele vê são o Tom e Jerry.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Sempre a Aprender

Afinal é mesmo o Diogo que manda lá em casa. Ele diz que não e é não mesmo.

Não se obriga a fazer o que ele não quer ou ele liberta a fera com birras que só enervam toda a gente e criam instabilidade. Portanto o melhor é fazer exactamente o que ele quer... 

...durante 5 ou 10 minutos!!!

Passados 5 minutos sem falar do assunto e com ele distraído noutro assunto aborda-se a questão e ele faz tudo (ou quase) sem desagrado e algumas vezes divertido.

EX:
O Diogo nunca arruma o quarto quando lhe pedimos à primeira mas passado algum tempo pedimos ajuda para arrumar o quarto dele e lá vem o Fraldinhas todo contente ajudar.
Quando está com "aquelas" birras e o pai o segura, para o acalmar, ele toma isso como uma afronta e privação de liberdade, portanto, faz pior, grita mais, empurra, bate em tudo e não pára até o pai o largar. Quando o pai não lhe toca a birra dura menos tempo e é menos violenta.

Encontrei as Palavras

Andava à procura de palavras que sintetizassem a minha revolta mas sentia-me perdida nos meus pensamentos e nas imagens da desgraçada.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Nenhuma de Nós Entende

Devemos sempre lembrar-mo-nos quem somos. 

Tenho por obrigação querer para os outros o mesmo que quero para mim. Não dou a outra face mas também não atiro a primeira pedra, não porque um dia ela pode estar apontada na minha direcção, mas porque tenho coração.

A indiferença não é nada, nem adjectivo, nem substantivo, muito menos Verbo. A hipocrisia não pode existir quando levo murros no estômago e se me revoltam as entranhadas.

Sou Humana mesmo que outros não sejam EU SOU e sendo Humana só posso ser egoísta ao chorar, não porque o teu Mundo te faz sofrer, mas porque o pouco que adivinho do teu sofrimento faz-me sofrer a MIM e dói-me saber que sofres.

Dói-me porque sei que nenhuma de nós entende. Não te consigo proteger e as minhas orações não te alimentam, não te vestem, não te protegem, não te dão Amor e Paz. 

Não consigo fazer a diferença vocês são tantas e eu vejo-me sempre embrulhada nos vossos pesadelos e na minha culpa. Estou à espera que venhas... 


Estrelinha do Mar

Existem alturas em que uma mãe tem de se retirar de cena para que tudo decorra na normalidade, sem choros, nervos ou stresses e esta foi a altura. 

Acompanhado na natação, pelo pai, o Diogo tem feito um excelente trabalho, sem implicar ou fazer birras. 

Até faz a Estrelinha do Mar e eu nunca consegui que ele ficasse de barriga para cima.


terça-feira, 15 de setembro de 2015

Depois da Grande Soneca

Eu já estava a ficar enervada porque o miúdo nunca mais acordava e as horas passavam, passavam, passavam e eu estava em pulgas para o meter a andar de cavalinho. Mal comecei a pensar que estava na altura de começar a roer as unhas ele acordou e fomos todos passar um excelente e muito divertido final de tarde na Feira Setecentista de Queluz

E apesar do dorminhoco nos ter pregado a partida da Grande Soneca conseguimos apanhar bastantes horas de luz e pouca gente. Veja mais fotos aqui.


Tempo Útil

Eu fico banzada quando leio coisas como: 
"... aproveitar estes dias para tirar tempo para estar com as crianças.."
"... finalmente passar o dia com as crianças..."

Ainda ontem falava com uma mãe que me dizia:
- Como é que consegues que o teu filho faça isso?
- Sento-me a brincar com ele, faço actividades ao lado dele, com ele ao colo, etc...
- Pois tu fazes isso!!!

Meninas têm filhos para quê? Para deixar a um canto? Ao contrario de muitas mães e tal como muitas mães, eu não tenho empregada, até trabalho e o tempo que passo com o meu filho está acima de tudo e nada é mais importante, por isso, não entendo como pode ser um fenómeno digno de registo eloquente o facto de se passar um dia com um filho e fazer coisas com ele e que algumas horas de actividades até sejam um elemento raro da relação.

O tempo passa tão depressa que se eu não o fizer agora não terei oportunidade de voltar atrás e remendar tudo o que ficou por dizer, fazer e sentir. Até hoje não me arrependo de nada que fiz, de nenhum segundo que passei com ele, de tudo o que deixei de fazer para o meu bem estar e para a organização da minha casa porque só assim sei ser e sou feliz: a saborear os momentos que temos juntos e a acrescentar cada vez mais minutos a esses momentos.

Canetas de Filtro

Ontem chegou a casa, sentou-se na secretária do pai e começou a pintar com os lápis e canetas de filtro.


segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Dias de Chuvinha

O Diogo pediu para ir dar uma volta ao parque mas começou a chover. Acabámos a tarde a pintar e colar, ou melhor: a riscar e a lamber UHU!!!



Robe do Mickey

Estou que nem posso com a nova fatiota do Mickey Mousse que comprei ao Gôgô.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Brinquedos Simples

Mil e uma brincadeiras com um brinquedo tão simples. É claro que a mamã ajuda nas invenções!!!


Mas atenção porque se continuas a acordar ás 3h da manhã para conversar a mamã vai adormecer em pé antes de conseguir meter os bonequinhos aos pulinhos... Já lá vão 2 noites de tertúlias!!!


quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Metade

Novo Conceito: Medo

O Diogo descobriu o que é ter medo.

Ontem íamos para a cozinha, num corredor semi-escuro oiço a sua vozinha dizer:
- Mãe péra pelo menino. Diogo tem medo do curo!!!

Noites Sem Pai

Duas noites, sozinho com a mãe, porque o pai estava a trabalhar resultaram nisto:

Ajudou-me imenso na cozinha. Eu cozinhava e ele brincava mas sem incomodar.

Em 2 minutos desenvolveu uma nova concepção de espaço na minha cama.


PS - Ontem foi dia de gritar, chorar, falar e mandar-se para o chão e tudo ao mesmo tempo. Passados 25 minutos sem nem ele entender o que queria puxou-me aos gritos para a cadeira ordenou-me que senta-se, puxou-me, deu-me um beijo nos lábios e um abraço. Foi brincar como se nada tivesse acontecido. Alguém resiste???

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Memórias

Gostava de ter memórias de quando era bebé. De me lembrar da minha mãe e da minha tia. Adorava ter memórias da forma como elas eram comigo. Como seria o meu pai?

A minha mãe tinha 14 anos quando eu nasci e não tem memórias desse tempo, não me sabe contar histórias de quem e como eu era e a minha tia morreu à tantos anos...

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Creche ou Not??? Cada Vez Mais Not Not Not

Agora que se vê publicidade por todos os lados, blogs e mais blogs sobre o regresso ás aulas tenho cá para mim a ideia que esse stress ainda vai levar algum tempo a acontecer cá em casa. Ponderamos seriamente a decisão de só começar a preencher a alínea do IRS de Despesas Escolares depois aos 4 anos.

É que o miúdo está muito bem em casa dos avós, super bem para a idade dele (nesse aspecto toda a gente concorda desde as amigas educadoras à comunidade médica contactada). Não sujeito a uma série de doenças que me vão meter os cabelos em pé e stresses que me vão fazer andar medicada durante semanas a fio.

Ah blá blá a escola é boa!!! É mesmo? Para quem? 

Pah eu também só fui para a escola aos 4 anos e não morri, pelo contrário, tenho memórias dos meus "tios" da comida, dos pudins flan servidos em tacinhas de metal, das brincadeiras no Estádio Nacional, etc etc...

Se o miúdo tiver febre tenho de correr logo com ele para o hospital para fazer um exame à urina sem parar na casa partida e sem ganhar nem um tostão só perder tempo, ganhar cabelos brancos e nervos. Isso de esperar 72h é bom para os outros!

Se não metem o miúdo a dormir na creche eu tenho de o medicar fortemente ou amarra-lo com uma mordaça na boca porque não existe quem o ature, nem ele próprio, com sono. Só podes estar a brincar??? Então não estou. Experimentem lá e ao fim de 30 minutos já estão com um copo de Xanax na mão... um para cada um!!!

Ao preço que estão as creches tanto do Estado como Particulares bem que eu podia ganhar o Euromilhões que isto da escolaridade começa a ser um luxo que nos incutiram com o tempo. 

Que eu saiba noutros tempos não se ponham estas questões de ir ou não para a escola porque as crianças ou não tinham dinheiro para ir fosse onde fosse ou tinham com quem ficar.

Depois veio a mentalidade que a creche é boa e quando já todos estavam viciados nesta droga, repetíamos a lenga lenga e estávamos desesperados por meter lá os filhos não só porque é bom para o desenvolvimento da criança mas porque temos de ir trabalhar, vai-se a ver é difícil de entrar onde se possa pagar, ou é caro, ou os miúdos apanham uma série de doenças e afinal até podem estar com os avós porque o convívio com a família e diferentes gerações é saudável e até sai mais barato.

Já viram bem que existem alternativas: actividades diversas onde as crianças podem conviver com outras crianças sem estarem confinadas a um só espaço, diferentes meios, onde elas também podem trabalhar e desenvolver competências? Basta ter quem tenha disponibilidade para as ir levar e buscar nos dias das actividades e isso eu tenho. 

Será que vale mesmo a pena, que é mesmo necessário uma creche com tudo de bom e mau que a envolve se podemos ter a sorte de ter o melhor dos dois mundos? 

Cá em casa começamos seriamente a pensar que afinal o Diogo não irá para a creche aos 3 anos, como inicialmente tínhamos previsto e aproveitando um telefonema meu para a Estrelas e Ouriços para esclarecer dúvidas sobre actividades diárias, semanais, temporárias para crianças começamos a ter cada vez mais certezas e estamos cada vez mais convencidos que não vamos optar pela creche.

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

No Jardim Zoológico

Foi uma loucura. O Diogo não parava e não deu descanso a ninguém mas acho que se divertiu imenso porque no Domingo falava muito das coisas que lá tinha feito.

Tenho quase a certeza que loucura dele foi andar de teleférico. Mais fotos sobre o nosso dia aqui.




A Subir Armários

Ontem ele aprendeu a subir e eu ensinei-o a descer sem ajuda mas... ele prefere que eu esteja ali e literalmente a mandar-se para os meus braços.

Até o macaquinho participou nestas novas macacadas.




A Guerra Parou

Como uma rábula do Raul Solnado, foi feito um telefonema e a Guerra parou. Na TV dizem que se abriu um corredor humanitário.

Abriu-se um corredor Humanitário para ver passar a morte. A estrada é longa e são muitos os carros brancos que a acompanham.

Na TV um pai que tinha declarado que queria enterrar a mulher e os filhos mortos, na terra de onde tinham fugido da morte e depois morrer diz:
- Não sei o que hei-de dizer. Estou cansado. Deixem-me em Paz!!!

A chamada é interrompida, existem interferências na linha ninguém se entende e o Corredor Humanitário é fechado. Talvez, um dia, se volte a abrir para deixar passar a morte.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Mudar a Lâmpada

A lâmpada fundiu...
Ele foi buscar a sua cadeirinha para ir mudar a lâmpada!


Bons Sonhos!!!

Depois de um enorme beijo pedi um abraço forte. Sem saber porquê ele abraçou-me com força e sorriu. O meu Mundo ficou diferente, mais calmo e com nova esperança. Ate eu sorri e apesar das profundas olheiras que ganhei durante o dia de tanto chorar, senti que um brilho nasceu nos meus olhos.

O menino mais bonito do Mundo estava abraçado a mim e confortava-me sem saber.

Durante mais um fim de tarde de brincadeiras o seu sorriso inocente motiva a minha mente apesar de nela estar o fantasma daquela foto. Durante a noite acordei, olhei para a sua cara tranquila e vi outro rosto, noutras circunstâncias e pensei: 
- Tenho de te preparar, de educar, de te ensinar a ter força. Serás o meu coração com uma alma menos perturbada assim puderas seguir em frente de forma mais tranquila.

É madrugada, sinto-lhe o cheirinho, aninho-me nele e adormeço tranquila sabendo que amanhã será um dia muito melhor, que amanhã será dado mais um passo que salvará vidas. Bons Sonhos!!!


quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Não sei lidar com o Sofrimento dos Outros

A Europa está a acordar para a situação dos refugiados/emigrantes. A imagem do menino morto na praia está a chocar, as redes sociais estão inundadas com essa imagem e eu???

Há quanto tempo tenho "sonhos" sobre isso? Sobre essas e outras imagens de crianças violadas, magras de fome, mortas? Desde sempre mas cada vez mais desde que fui mãe. Tenho vómitos, pesadelos, tremores e suores.

Não consigo lidar com estas realidades. Sei que estou doente e que deveria viver de outra forma, encarar esse Mundo com outros olhos mas não consigo. Eu bem tento olhar para o lado, apagar a televisão, não ligar a internet mas as imagens não desaparecem da minha cabeça. 

Existem situações onde realmente sofro como se fosse meu filho, choro muito e sofro uma dor intoleravelmente enorme. Procuro formas de ajudar e sinto-me impotente porque nada do que eu faça é suficiente e não consigo parar com esta miséria. 

Dos meus olhos caem lágrimas de impotência por não conseguir abraçar o Mundo e socorrer todas as crianças - tenho um regaço tão grande e uma forte vontade de proteger.

Tenho dias em que me sinto culpada de sonhar os meus bons sonhos, de sonhar com o que quero. Sinto-me culpada de ser fútil e querer coisas que outras pessoas nem sequer sonham que existem e são coisas tão banais - que pecado o meu e que pecado terão cometido todas estas crianças para que Deus se tenha esquecido delas e dê força a tantos homens para serem bestas? 

Pergunto muitas vezes se deverei ter esperança na humanidade porque parece-me que o homem não aprendeu nada e cada vez está pior, faz pior e diverte-se cada vez com isso. Já não existe humanidade, só individualidade, intolerância e ganância. Tenho de ter esperança mas a verdade é que não acredito nisso e todos os dias faço um esforço para acreditar.

Não consigo lidar com a situação e também começo a desesperar porque não consigo que me seja nem um bocadinho indiferente e a minha alma grita em sufoco. Para me aguentar de pé medico-me (e bem e cada vez mais). Não sou louca só não sei lidar com o sofrimento dos outros.

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

terça-feira, 1 de setembro de 2015

As Primeiras Botinhas

Serão só dele, para sempre!!!

Contra as Melgas e os Mosquitos

Experimentei este Verão e recomendo tanto para adultos como para crianças a Citronela biológica, em gotas e que se vende no Celeiro por cerca de 7€.

Basta aplicar umas gotas na roupa (nunca aplicar no corpo). O cheiro inicial desaparece rapidamente para nós mas os insectos detestam-no.

Apliquei nas nossas roupas e sapatos, aos pés da cama nos lençóis, à volta do berço e nenhum animal voador se aproximou de nós... nem quando estávamos calmamente a desfrutar de um belo churrasco nocturno, no alpendre.

Os bichinhos voadores que me adoravam passaram a querer distância da minha pessoa e felizmente o Diogo não experimentou essa sensação (mais vale prevenir).

2º Aniversário do Diogo

Podemos voltar atrás no tempo? Deu-me tanto trabalho mas gostei tanto de organizar o 2º Aniversário do Diogo. Foram horas de pesquisas, de trabalhos informáticos, manuais e na cozinha mas o resultado final deixou-me tão encantada que não me importava de repetir.