sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Não tenhas Medo

Ontem tive um dói dói. Liguei para o médico de família e ele aconselhou-me a ir directa ás Urgências do Hospital uma vez que de certeza que seria isso que ele me mandaria fazer dali a 4h após ver-me em consulta. Escusei de esperar 4h e à hora da consulta médica já estava em casa.

Tudo bem. Urgência pouca espera, pequena cirurgia e repouso. Se aguentasse a dor poderia trabalhar no dia seguinte (e aqui estou eu).

O Luís foi buscar o Diogo e pelo caminho explicou-lhe que a mãe estava doente, tinha um dói dói e que precisava descansar. Mal chegou a casa ele disse-me logo que eu estava estava doente.

Passado um bocado veio sentar-se junto e mim e disse-me:
- Mãe, tou aqui contigo, não tenhas medo. Tou aqui ao pé de ti, não tenhas medo!!!

Obviamente que todos os meus medos desapareceram com estas palavras mágicas.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Natação, Nunca Mais!!!

Já passou mais de um mês desde que decidi deixar de ir à natação com o Diogo. O comportamento dele com o pai é exemplar e comigo é um desastre. Ao longe tenho visto e evolução dele e estou muito orgulhosa por ele desfrutar das aulas.

Esta segunda o pai teve trabalho e eu fui com com o Diogo à aula de natação. Resultado: Nunca Mais!!! 

O Diogo portou-se tão mal mas tão mal que saí da aula mais cedo. Todas as pessoas pessoas estavam surpreendidas (menos as mamãs e papás que já conhecem a nossa história). Não sei o motivo deste comportamento mas aprendi que não adianta insistir numa situação que causa mal estar a toda a gente e que depois deixa o Diogo num péssimo estado.

O mau comportamento estendeu-se até casa, eu estava a ralhar com ele e ele insistia e a cena repetiu-se várias vezes até que ele voltou-se para mim , do alto dos seus 2 anos, com um ar sério e inquisidor e perguntou-me_
 - Tás a gozar ca minha cáa!!! (estás a gozar com a minha cara)

Acabou a discussão...

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

No Marvão e em Castelo de Vide

O Luís fez anos e com a devida antecedência planeei um fim de semana fora e em família. Mal vi Marvão não procurei mais nada, fiquei apaixonada e essa paixão manteve-se no local e ficou marcada no meu coração.

Eu estava com uma certa expectativa em relação ao Diogo mas ele tirou o maior partido de tudo e divertiu-se imenso a correr e percorrer todos os recantos e caminhos por onde passou e nem a trovoada o deteve. 

Caiu-me uma lágrima de felicidade plena quando à saída de Marvão e já na estrada que nos levaria a Castelo de Vide, ele olha para cima e vê o castelo e as suas muralhas e com as duas mãos diz-lhes Adeus com um enorme sorriso e olhos a brilhar. O sorriso de quem passou horas imemorizáveis,. Talvez um dia ele se lembre de alguma coisa...

Castelo de Vide também fez os seus encantos mas tenho cá para mim que ele voltaria ao castelo de Marvão para correr mais umas belas horas.

Ver mais fotos aqui e aqui















sexta-feira, 16 de outubro de 2015

O Melhor Educador de Infância do Mundo

Quando o ouvia ele estava a gritar, quando o sentia ele estava a tentar bater-me e muitas vezes acertava-me, eram palmadinhas que eu não entendia e gritos que eu não decifrava. Um dia lembrei-me de coisas que li e vídeos que vi naquela maldita rede de que toda a gente reclama mas que utiliza.

Naquele mês em que ele esteve constantemente a desafiar-me eu devo ter feito alguma coisa de errado, olhei para o espelho e vi-me. Foram cerca de 30 dias com palmadinhas no traseiro para lhe chamar a atenção que estava errado, era um: Não faças isso num tom mais alto, uma palmada na mão e não era só eu... Foi um mês maldito. 

Um dia levantei-me de manhã e fiz tudo ao contrário. Por cada palmada um beijo, por cada levantar de braço um abraço, por cada grito um carinho.

Em vez de lhe ralhar:
- pego nele ao colo e dou-lhe um beijo enquanto lhe digo que está a fazer errado,  
- quando ele me levanta a mão em vez de lhe levantar a minha dou-lhe um beijo nos dedinhos lindos e rechonchudos que ele tem. Se estou perto dele dou-lhe um abraço. Às vezes digo que ele tem de levantar as duas para o abraço que ele me vai dar ser mais forte e ele dá-me um abraço grande. 
- quando ele não quer fazer uma coisa pergunto-lhe se quer ir a bem ou a mal e ele diz que é a mal eu faço cara de má ele ri e diz: A Bem!!! Isso dá direito a colinho, beijinhos, cócegas e/ou abraços ou a tudo ao mesmo tempo,
- se falo um bocado mais alto ele diz: Mãe, fala comigo!!! Literalmente...
- se me começo a exaltar ele diz: Mãe não grita. Mãe fala com o Diogo!!! Eu peço-lhe desculpa e baixo-me para falar com ele enquanto o mimo.

Ontem foi o dia do grande teste desde que comecei esta experiência. Ele esteve sempre a desafiar-me e eu sentia-me cansada. Depois de lhe dar uma palmada da mão e ele fez-me exactamente o mesmo que eu lhe tinha acabado de fazer, eu percebi logo que eu tinha errado. Olhei para ele, pedi-lhe desculpa e dei-lhe um beijo, demos um abraço. A coisa acalmou mas ele estava mais virado para aquele lado e eu ignorei-o o tempo todo. 

Tem dias que não vale mesmo a pena chatear-mo-nos por coisas que não valem a pena porque conhecemos bem os nossos filhos e sabemos que aquele não é o seu feitio nem a sua forma de estar, ele pura e simplesmente está em dia não e alimentar essa disposição só a agrava e causa discussões desnecessárias entre uma criança e um adulto que se esquece que está a falar com uma criança, ou seja, uma pessoa com outro entendimento das situações e do mundo. Nos outros cerca de 30 dias eu teria-o enfrentado.

Depois pedi ao Luís para ir com ele lavar os dentes porque o Diogo continuava com a mesma disposição e eu sabia que ia perder a calma, quando comecei a ver que aquilo estava a ser motivo de stress entre eles, já eu tinha respirado fundo e distraído-me com outras coisas durante alguns minutos e senti-me pronta para arranjar uma solução engraçada para o Diogo ir lavar os dentes a brincar sem discussões.

Entre mim e o Diogo tem havido uma grande compreensão e cumplicidade. Ambos nos apoiamos cada vez mais nas conversas e brincadeiras. Tenho falado muito com ele, tenho-o visto brincar e seguido as brincadeiras dele e aprendido... Cada vez lhe dou mais beijos e abraços. 

Tenho o melhor Educador de Infância do Mundo.


segunda-feira, 12 de outubro de 2015

As Bolachinhas do Diogo

A previsão meteorológica era de trovoada e eventos fortes. Vinha de lá uma coisa que teria sido um tal furacão Joaquim e eu pensei que com tanta ventania o melhor programa seria ficar em casa. 

São tão raros os fins de semana que ficamos em casa que decidi aproveitar este para organizar as roupas do Diogo e tentar descansar um pouco. 

Com uma criança tão pequena nem sempre é fácil mas acabou por ser giro porque o Diogo colaborou ora brincado sozinho ora chamando o pai ou a mãe, entre uns e outros a coisa correu muito bem, sem birras mas também sem ventos fortes e trovoadas.

No Domingo de manhã aproveitei para fazer um programa diferente com o Diogo. Ele não quis meter a mão na massa para amassar mas adorou brincar com o rolo da massa e fazer as Bolachinhas de Castanhas, principalmente as "Estelas do Már".

Veja a Receita aqui.



Dica Realista para Poupar

Mais uma recuperação daquelas... Esteve perdido mas agora que encontrei quero que se lembrem que é sempre possível poupar e grão a grão enche a galinha o papo.



Parece que anda muita gente interessada nesta tabela do blog Organizar e Festejar. Se bem que acho muito interessante esta forma de poupança penso que para a maioria das pessoas será uma tarefa demasiado complicada e que poderá fazer com que muitos desistam a meio.

É fácil nas primeiras semanas poupar mas acabar o ano a poupar 50€ por semana é um esforço de super herói muito difícil numa altura destas e vamos lá tentar perceber em que altura é que será fácil poupar 200€ por mês...

Eu tenho uma fórmula muito mais prática e realista e que aplico à algum tempo. Aprendi no programa de Oprah que se o nosso patrão nos paga pelo nosso trabalho porque é que nós não nos pagamos pelo trabalho que temos em trabalhar!?

Confuso? Eu explico: Se o teu patrão te paga para trabalhar porque é que tu não te pagas para trabalhar? Interessante não é!??? A fórmula que ela deu era de 10% do vencimento o que em ordenados americanos dava uma fortuna ao fim de alguns anos de trabalho mas aqui temos de fazer uma adaptação à nossa realidade e ordenados.

Se estiveres a viver um momento mais confortável poupa os 10% mas não guardes o dinheiro para gastar em alguma coisa para ti. Guarda-o para um dia, quando realmente precisares, estiveres num aperto, quiseres realizar O Sonho ou simplesmente para a tua reforma. Os americanos guardam como pé de meia para a reforma.

Se estiveres a viver um momento mais difícil poupa 5% ou mesmo 2,5%. Eu sei que neste momento pode parecer irrisório e estúpido poupar por exemplo 2.5% do ordenado mínimo nacional mas imagina todos os meses guardavas 12,50€ ao fim de 1 ano terias 150€ e ao fim de 10 seriam 1500€ que jamais terias se não tivesses feito este esforço.

Tendo em conta que o salário médio em Portugal é de cerca de 900€ (cabom) imagina guardares todos os meses 90€. Ao fim de 1 ano seria 1080€, ao fim de 10 anos seria 10.800 e ao fim de 30 anos de trabalho seria 32.400€ que dariam para fazer alguns "estragos" na reforma ou cobrir um dos problemas que mais tememos na velhice: a saúde.

Pensa nisso, adapta-te e poupa!

Actualização:
Quando dei ao ordenado médio em Portugal o valor de 900€ baseei-me no estudo feito em 2014 e relativo aos vencimentos de 2013 mas para ser um bocado mais realista irei fazer as contas com o valor de 600€. Se poupares 60€ por mês ao final de um ano terás 720€, ao fim de 10 anos 7200€ e de 30 anos de trabalho 21.600€,
Se achares difícil começar a retirar do teu ordenado 60€ por mês começa mais devagar e gradualmente vais ver que o dinheiro que retirares poderá não te fazer diferença ou que aprenderás a viver sem essa quantia.
Esta fórmula não anula outras que tenhas mas esta é especificamente para realizar um sonho e só deve ser aplicada noutra situação em caso de urgência.

No Ano Passado

No ano passado, por esta altura, estas eram as minhas palavras de desabafo. Palavras que desapareceram daqui mas que recuperei para me puder lembrar de... como era!!!

Amigos Virtuais

Recebi uma imagem que dizia: "Às vezes, amigos virtuais interessam-se mais pela gente do que os nossos amigos reais."

No tempo em que vivemos torna-se muito difícil fazer esta distinção. Se os nossos amigos reais estão ou podem estar sempre ali os nossos amigos virtuais também. 

São muitas vezes os nossos amigos virtuais que nos fazem companhia durante o dia, que nos ouvem os sonhos, as mágoas e as esperanças. São muitas vezes eles que nos dão força e conselhos. São muitas vezes eles que aturam o nosso mau humor e estão sempre lá.

Quantos dos meus amigos virtuais é que me abandonou? Deixou ficar mal? Quantos dos meus amigos virtuais é que já me deu dicas, conselhos, opiniões? Quantos deles é que através de um clique eu meti em contacto com outros que precisavam de uma ajuda que eu não podia ou não sabia dar? Quantos amigos perdidos e esquecidos pelo tempo e pela vida é que não encontrei virtualmente?

Quantos desses amigos é que eu não descobri por acaso? E quantos é que não me trouxe o tempo para a vida real?

Não sei. Também não sei o que é real e virtual porque tenho a sorte de puder contar com todos na minha vida. Cada um à sua forma e maneira são a minha companhia e de cada um espero o que posso esperar e dou o que posso dar.

Não me queixo dos amigos reais que foram deixando de aparecer, nem me regozijo dos amigos virtuais que foram aparecendo, simplesmente agradeço tudo o que me dão e reconheço as voltas da vida.


Ás Vezes

Ás vezes leio coisas que me fazem sentir vergonha do que quero e existe tanta gente que só quer um sorriso.

Ás vezes tenho vergonha de me zangar porque existe tanta gente que não tem com quê.

Ás vezes tenho vergonha dos meus sonhos porque existem pessoas que não sabem o que isso.

Ás vezes, sempre os Ás Vezes porque vivo num Mundo que me transporta para outras realidades e porque tenho medo delas. Tenho medo das outras pessoas que vivem num outro Mundo onde tenho a sorte de não viver porque tenho Comer, Paz e Saúde.

Que hipócrita sou quando digo que ajudo (e ajudo) se eu poderia fazer muito mais.

Que egoísta, quando planeio sonhos de passeios, viagens e sorrisos, depois olho para uma criança que vive em guerra, morta, doente ou com fome... Desvio o olhar porque não sou capaz de sentir aquela realidade que me esmaga, desespera e faz chorar. 

Essa realidade não é a minha e não quero acreditar que alguém no Mundo possa viver assim. Eu sinto-a em mim e através do meu filho e agonizo, desespero. Sinto profundamente nas minhas lágrimas a tristeza das outras pessoas.

Quero ter em mim todas as crianças do Mundo mas o Mundo é tão grande e cheio. 

Como posso pensar assim e depois olhar para o meu telemóvel, a minha conta bancária e esperar encontrar lá dinheiro para uma nova viagem, uma nova decoração, um novo brinquedo onde tanta gente só precisaria de um novo sorriso, uma nova esperança, um beijo e abraço?


Ás vezes sinto mesmo vergonha de mim e do Mundo!!!

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Mãe

Se eu vivesse mais 10 anos por cada vez que chamo por ti, mesmo em silêncio, para me confortares e mesmo à distância limpares-me uma lágrima, eu seria imortal e tu serias sempre a eterna imortal Mãe de uma imortal.

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Animais no Céu

Fomos ao Planetário e o Diogo ficou surpreso quando descobriu que as estrelas formam animais. 
Ler mais aqui.


quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Parque, Parque e Mais Parque

O Diogo mal acorda agora só diz que quer ir ao Parque. e prontos lá vamos nós satisfazendo as vontades do Diogo e ele não se cansa...Tentamos variar nos Parques e neste fim de semana calhou o Parque dos Índios. 

Aproveitámos a Feira do Mel e além de comprarmos umas coisas gostosas, cedemos ao pedido do Diogo e compra-mos-lhe um livro fantoche do Winnie de Pooh sobre o mel que muito o tem divertido (desde sejam os pais a fazer fantochadas). Livros são sempre bem vindos :)


Posição característica do Diogo: andar de braços atrás 


A Construir Um Sonho

Estou tão feliz. Hoje dei o primeiro passo para a realização do meu maior e mais antigo sonho material. 
Será daqui a 3 anos (máximo 4) e será mágico, frio e muito colorido.